Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

O da Inês

Eu e... as séries

 

 

Olá maltinha!

 

Durante muito tempo mantive uma postura indiferente relativamente às séries. As minhas "cenas" sempre foram os livros e logo a seguir os filmes, pois desde muito cedo fui incentivada a conhecer e a cultivar o gosto por estas duas artes. Só mais tarde vieram as séries, e atenção não estou a contar com "Morangos com Açúcar", "Inspetor Max", "Arrepios" e "Uma Aventura". Essas preciosidades que tornaram a minha infância muito mais feliz. Refiro-me às séries estrangeiras, que só comecei a apreciar verdadeiramente na faculdade.

 

Entretanto os estudos, o trabalho, a família e todo um leque de afazeres afastaram-me desse mundo fascinante e... viciante! Até que, há cerca de um mês, fiquei  mais livre e devorei em menos de uma semana as seis temporadas de "American Horror Story". Pois é pessoal, endoideci completamente. 

 

Para quem não sabe a série norte- americana revala-nos várias histórias, ao logo das seis temporadas, recheadas de drama e terror. Cada temporada transporta-nos para uma realidade diferente e independente das outras, o que não quer dizer que não surjam referências ou ligações entre elas. 

 

A primeira temporada mostra-nos uma casa assombrada por criaturas que ora parecem almas de outro mundo, ora pessoas de carne e osso como nós. É ai que reina a piada da coisa. A segunda passa-se num asilo e aqui começam as referências históricas a sério, eu aprecio-os e acho que dá um toque especial à narrativa. E aqui se tiverem interesse pela época da Segunda Guerra Mundial, melhor ainda. Lembram-se das Bruxas de Salém? Pois bem, na terceira season há bruxas por todo o lado e as lendas partem desde a sua origem até à vida que levam nos dias de hoje. A temática é bem interessante até, porém a temporada é demasiado calminha para o meu gosto. Ora, estamos na quarta temporada, não é? Os atores repetem-se, desta vez noutros papéis. O enredo está associado a um circo de horrores com criaturas aparentemente medonhas e pouco sociáveis. A juntar à festa temos um palhaço maníaco à solta que assassina pessoas a torto e a direito. Atenção, a história desta personagem também é baseada em factos reais. Quinta temporada meus amores. Um hotel que serve ou rouba diariamente sangue aos seus hóspedes e a Lady Gaga. Bru-tal. E chegámos à sexta, com muita pena minha. Na verdade desapontou-me um bocadinho, mas não vou contar-vos porquê. Estraga a season a quem ainda não a viu. Adiante, mais um casal e uma casa assombrada, só que desta vez o desenrolar dos acontecimentos é mostrado através de um documentário. Um pormenor muito curioso, certo? E agora, em Setembro, começa a sétima temporada. Estou ansiosa por descobrir o que vem aí. 

 

Em geral: adorei. Não é um género ao qual estejamos habituados e por isso agarra-nos logo de início. É doentia, sádica e inquietante. A certa altura perguntamo-nos: "Mas como é que alguém conseguiu criar isto?!" Assustamo-nos com a mente do ser humano... até onde conseguimos ir afinal? À medida que o tempo passa ficamos mais envolvidos na série, conhecemos-lhe as manhas e isso alguns desfechos expetáveis. Algo perfeitamente normal, tendo em conta o contexto. Resumindo e concluindo: aconselho-a vivamente. Os mais sensíveis conseguem ver perfeitamente a série sem grandes sobressaltos. O terror advém da brutalidade com que o ser humano age para consigo e com os outros, isto é, o que choca não é a cena em si. Muitas vezes nem sequer é apresentada a forma como a anormalidade ou o assassinato foram realizados. O que impressiona é o ato em concreto, a consciência de que o Homem pode ir longe de mais e ultrapassar limites inimagináveis.

 

Neste momento encontro-me a idolatrar "Bates Motel". Mas este 'episódio' fica para depois. Só me falta uma temporada para acabar a série e contar-vos aquilo que achei da mesma. 

 

 

Resultado de imagem para american horror story

 

 

Podem seguir o meu dia a dia, estas e outras partilhas no Instagram. (:

Beijocas  

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.