Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O da Inês

Marcas

Hoje falo-vos somente sobre mim e o caminho que tenho vindo a percorrer ao longo do último ano. Os seguidores mais fiéis sabem que a minha irmã faleceu no mês de Novembro do ano passado, através deste texto que escrevi à minha mãe. Talvez tenha sido a principal razão pela qual criei o blog, para me distrair e não passar o dia em branco. Resultou? Um pouco. Na verdade o tempo não cura mas tranquiliza a nossa alma e, apesar de a recordar diariamente a dormir no caixão, estou cá.

 

O meu tempo foi dedicado a tudo e mais alguma coisa: o meu cachorro, a catequese dos meninos do 1º ano, os meus sobrinhos, o inglês, a tese e a preparação para o crisma, que se deu no último Domingo. Engraçado como há um ano estava quase a entrar em depressão no meu antigo trabalho e agora encontro-me muito melhor nesse aspeto. O meu sonho passa pela Rádio, não pela Televisão e toda a selva onde a mesma habita. Eu até gostava do que fazia, de conhecer e entrevistar pessoas, escrever e executar a locação das reportagens, mas a competição e a busca pelo sangue do mais fraco entristecia-me a olhos vistos. E quando vi que me estava a tornar um deles, desesperei.

 

Entretanto a minha irmã adoeceu, o meu pediu-me para abandonar o meu trabalho que só me dava dores de cabeça de modo a entregar a minha tese e agora preparo-me para deixar o meu país, no final do Verão, com o objetivo de experenciar uma cultura diferente durante um ano (no mínimo). Engraçado como tudo muda em tão pouco tempo, como a vida dá voltas e nesses altos e baixos redescobres-te. Tu não cresceste, não se trata disso, apenas esqueceste-te do teu verdadeiro eu e perdeste-te nos dias longos da tua existência.

 

19183999_10212998833111277_132774090_n.jpg

 

Esta sou eu e a minha avó. Podia ter escolhido uma amiga, alguém mais jovem para fechar comigo este ciclo. Todavia escolhi a minha avó, a pessoa mais forte que conheço, de maior fé, bondade e altruísmo. Amo-a com todo o meu ser e juntas continuaremos a nossa caminhada.

 

 

Um beijo meu e da minha mãe em versão Boomerang. (:

 

Review - Batom líquido matte JORDANA

Boas maltinha!

 

Hoje volto a trazer um post dedicado às meninas, mas os rapazes também estão convidados à leitura. Porquê? Porque as mulheres adoram receber presentes, e o batom que se segue seria uma ótima oferta da vossa parte.

 

Então é assim. Lembram-se de vos ter mostrado, há algum tempo, aquela coleção de 15 batons líquidos matte? Continuo a adorá-los. Ainda no Domingo usei um na cor rosa durante horas a fio, mais concretamente na celebração do meu Crisma, e aguentou-se super bem. Até fiquei espantada pois transpirei imenso devido ao calor que se fazia sentir no local e pensei que esse facto afetasse a duração do meu menino. Nem por sombras, impecável! Entretanto a wakeupandmakeup13, uma loja online disponível na rede social Instagram, ofereceu-me um batom do mesmo género, porém de uma marca diferente. Eu já tinha ouvido falar da marca JORDANA e estava ansiosa por experimentar uma das imensas cores que ela oferece.

 

 

Este é o número 22, o Cinnamon Toast.

matte.jpg

 

 

 Vamos lá às diferenças, comparativamente à linha da Dux Lingerie. Para começar o cheiro é delicioso, até dá vontade de comer! Os batons da Dux também têm um odor maravilhoso, mas este lembra o algodão doce. Juro! O pincel é mais curto, grosso e suave. Agrada-me a suavidade mas prefiro o da Dux para delinear os lábios. É mais certeiro, estão a ver? Quanto à duração não há uma diferença gritante, talvez o da Jordana dure mais mas não garanto. No geral, está aprovadíssimo. Espreitem a galeria se quiserem ver as caraterísticas do produto ao pormenor.

 

 

 

 

Pessoalmente gostei bastante de o usar e tenciono comprar mais cores da gama.Adorei a forma como casou com o meu tom de pele e fez par com a minha trança. Fez toda a diferença no outfit, ora vejam.

 

 

 

 

E é isto minha gente. Aceitam-se críticas, mas apenas positivas e construtivas. Caso contrário lápis azul. Se tiverem curiosidade em experimentar a marca JORDANA, basta carregarem aqui.

 

Podem seguir o meu dia a dia, estas e outras partilhas no Instagram. (:

Beijocas  

Bora lá a Londres - Parte I

Pessoal eu tenho de parar de prometer coisas aqui no blog. Sempre que o faço ocorre um contratempo qualquer que impossibilita a minha vinda cá. Ontem acordei com algumas dores no corpo e o pingo ao nariz, mas hoje já estou fresca. Prontinha para vos mostrar alguns momentos do meu passeio em Londres. Bora lá!

 

Para começar, não consegui tirar grandes fotografias da cidade devido à correria dos habitantes e dos atropelos dos turistas. Ainda assim adorei a experiência e quero partilhá-la convosco, mesmo sem o recurso das imagens certas. Além disso sinto que este dia foi de puro desfrute, aproveito-o tanto que, volta e meia, esquecia-me da máquina fotográfica. E isso é bom, não é?

 

Escondido atrás de mim temos a Catedral de Westminster, a maior igreja católica da Inglaterra dizem.Estava toda catita. Tinha visto o tempo e tudo indicava que as temperaturas máximas rondariam os 22 graus. Wrong! Apanhei 29 graus, toda eu de preto malta. Foi ótimo, só que não!

 

 

18871116_10212882433561361_2051257671_n.jpg

18871152_10212882433401357_2107566009_n.jpg

 

A fotografia da praxe e a Abadia de Westminster. É uma igreja muito conhecida na cidade e em toda a Inglaterra. Este espaço acolheu inúmeros momentos hisóricos, entre eles o funeral da princesa Diana e o casamento do filho, o Príncipe William, com Kate Middleton. Entretanto já tinha posto de lado o casaco, repararam? E esperava ficar por ali, mas não consegui aguentar.

 

18788844_10212882431281304_2044448255_n.jpg

18871032_10212882428361231_331016337_n.jpg

18902065_10212882427121200_1781345898_n.jpg

 

E agora, na Praça do Parlamento. Estamos no centro do poder, por assim dizer. À volta  da dita praça estão o Parlamento Britânico e a Abadia de Westminster, aquela que vos mostrei anteriormente. O espaço está recheado de pessoas, aquelas que andam no corre corre e as outras que param ali para descansar. Por lá encontramos estátuas de figuras políticas importantes do Reino Unido e do mundo. E como fundo temos o famoso relógio Londrino: o Big Ben.

 

18870929_10212882421001047_296279195_n.jpg

18871084_10212882416560936_636925657_n.jpg

18871395_10212882428921245_929371149_n.jpg

18835140_10212882418400982_1009601911_n.jpg

18835378_10212882421361056_1713491018_n.jpg

18870751_10212882416720940_9444531_n.jpg

 

A conhecida Ponte da Torre de Londres (pelos bons e maus motivos), que cobre o Rio Tamisa, e um rasgo do London Eye.

 

 18902437_10212882379039998_2003305916_n.jpg

18834782_10212882398960496_555856533_n.jpg

18788722_10212882406560686_1268534539_n.jpg18835008_10212882404120625_301125528_n.jpg

18902874_10212882394440383_1279286894_n.jpg

 

Amigos tenho tanto, mas tanto para vos mostrar que vai haver uma segunda parte e, por este andar, até uma terceira do passeio por Londres. Não quero que este post fique muito maçudo. Portanto... me aguardjem.

 

Podem seguir o meu dia a dia, estas e outras partilhas no Instagram. (:

Beijocas e bom fim de semana!

Ajudem-me!

Boas!

Andava eu toda contente a ouvir "Soy Yo" no YouTube (não me julguem, gosto de ouvir músicas alegres durante a rotina de limpeza de rosto e maquilhagem) quando descubro esta outra música.

 

 

Danny Ocean - Me Rehúso

 

Não consegui evitar mal, vou ficar louca com esta música a passar em modo repetição. "Então ouve outra, Inês!" Não dá malta, o meu coração adora a batida desta canção e os pés já me avisaram que se a retirar da playlist não vão a mais lado nenhum que precise. Entretanto... mais logo devo passar por cá para contar como foi o meu passeio por Londres. Mas sem promessas.

 

 

Como já estão fartos de saber podem seguir o meu dia, estas e outras partilhas no Instagram. (:

Beijocas

Pijamas... da Primark!

Olá a todos!

 

Quem é que aqui adora pijamas? Seja Verão, Inverno, não interessa. Pijamas no geral. Antigamente, antes de conhecer a Primark, não ligava nada a pijamas. A meu ver consistiam apenas em roupa estritamente necessária para dormir, tanto era que deixava ao encargo da minha mãe a compra das peças. Depois abriu a Primark, primeiro derreti-me pelos pijamas super fofinhos e felpudos de Inverno para depois apaixonar-me pelos conjuntos originais de Primavera/Verão da marca.

 

Pois bem, o Verão anda aí a rondar (com alguns ventos e chuviscos à mistura) e eu já fui comprar o meu primeiro pijama fresquinho de 2017. Ora vejam!

 

bananas.jpg

 

Quanto a vocês não sei, mas eu achei-o super giro. Além do estampado apreciei bastante o custo do pijama: 5 euros pessoal, 5 euros! E há mais por lá à minha e à vossa espera. Espreitem a galeria que se segue e durmam mais bem dispostas, porque os conjuntos são mesmo engraçados e coloridos. Fun, fun, fun!

 

 

 

Também podem seguir o meu dia a dia, estas e outras partilhas no Instagram. (:

Beijocas

O dia em que rezei o terço no avião

Boas pessoal!

 

Tenho andado meio apagada aqui no blog mas por boas razões. Tirei uns dias para descansar, sair com a minha mãe, fazer algum exercício, matar as saudades do meu cãozinho e dormir. Dormir muito! E agora estou aqui para vos contar a minha aventura durante a viagem de regresso.

 

O meu namorado muito fofinho e carinhoso lá se despedia de mim e eu suava, suava... Não sei explicar mas tenho altos pressentimentos, quando algo está para acontecer sobe-me um formigueiro pelo corpo acima, sinto-me desconfortável, as pernas falham-me e o meu rosto fica vermelho e molhado, como se estivesse um sol forte acompanhado por uma temperatura de 40 graus no aeroporto. No aeroporto, vejam só! Que não podia estar mais fresco devido ao ar condicionado.

 

Bem, nisto chegam as sete horas e ele diz-me que é melhor ir andado, não "fosse o diabo tecê-las". Mal ele e eu sabíamos como o presságio estava certo. Lá vou eu insegura, como se guardasse uma bomba na carteira, na esperança que não reclamassem pelos três quilos a mais de recordações que a mala de mão guardava. Entretanto o meu namorado chama-me, relembra-me que tenho um perfume na carteira e que devo envolvê-lo num saco de plástico transparente que se encontra num canto do aeroporto à disposição dos viajantes. Eu bem tentei fazê-lo sozinha mas os nervos comeram-me parte do cérebro, aquela que comanda as mãos, e teve de ser o meu namorado a embrulhar o meu "So Sexy" da Victoria's Secret.

 

E vamos então à primeira etapa que parecia muito simples, bastava passar o meu passaporte numa máquina que me identificaria como Inês Silva, uma cidadã do mundo super exemplar. A máquina pifou. Eu estraguei a máquina, o que não é de espantar tendo em conta a minha magnífica fotografia. O funcionário que estava naquela zona apercebeu-se do problema e deixou-me passar imediatamente, a questão é que depois de mim mais ninguém utilizou aquela machine altamente traumatizada com o meu rosto. Eu devia ter previsto que era um sinal, mas não liguei e continuei a minha caminhada. (Desculpem se o texto está muito longo, talvez esteja-me a empolgar demais com esta história toda.)

 

Segunda etapa pessoas, não me abandonem. A revista. Sim, quando passamos por uma zona que apita desalmadamente caso tenhamos algo de ilegal. Na verdade só apita um pouco, no entanto na nossa cabeça soa três tons acima. Largo as malas para serem analisadas, já a rezar para não implicarem com o peso, e dou alguns passos nerbóticamente como diz Beatriz Gosta (oiçam-na às sextas de manhã na Antena 3) e... pipipipipi.

 

O senhor com muita paciência mandou-me tirar o casaco, mas voltou a apitar. Coloquei as mãos acima da cabeça, agora sem casaco, e volta a apitar. Entretanto ele acaba por desistir e permite-me continuar a jornada. Parece que estou no filme "O Hobbit", só que não. Enquanto isso as minhas malas já tinham sido analisadas e dado duas voltas ao bilhar grande. Tive de esperar que dessem a terceira volta para as apanhar e obter a autorização dos funcionários que as examinavam.

 

De repente olho para o lado e vejo toda a gente a abrir as malas, a segurança estava tão apertada que algumas companhias nem permitiam que os passageiros levassem bagagem. Comecei a panicar, lógico! Lembrei-me da roupa suja, incluindo a interior, colocada no topo da mala. Para ajudar à festa os líquidos que, apesar de não excederem os limites impostos pela TAP, estavam todos espalhados de modo a caber tudo no seu interior. "Ai o que hei-de fazer, meu Deus?!", reflito. Chega a minha bagagem de mão, tal como a minha carteira que continha o tal perfume e pelos vistos um outro objeto líquido do qual nunca mais me lembrei. Sabem aquelas bolas de cristal que contém figuras e água, muita água internamente? Pois eu levava uma coisa dessas para a minha avó! A rapariga que examinava a minha bagagem era loura, provavelmente da minha idade, bonita mas com um ar muito carregado. Estava zangada e, em inglês, argumentava que eu já devia saber que aquela recordação era líquida e tinha de transportá-la dentro de um saco plástico. Pois bem, eu ruí. Não chorei nem nada que se pareça. Todavia expliquei que, não sabendo bem porquê, estava indisposta e aflita com aquela viagem. O semblante dela mudou radicalmente. Pediu para acalmar-me, elogiou a minha mala, perguntou para onde ia... conversa puxa conversa nem tive de abrir a minha bagagem. Ufa! No meio de tanta pouca sorte um bocadinho de luz. Ela deve ter pensado assim: "Vou poupar esta pacóvia que nem nem sabe que tem de levar os líquidos todos em sacos de plástico quanto mais carregar uma bomba." 


E a viagem de avião meus amigos? Ui, outro mimo! Partimos uma hora depois do previsto devido ao mau tempo e ainda assim apanhámos turbulência. Rezei umas Avé Marias, Pai Nossos, Salve Rainhas e todas as orações que me lembrei na altura. Aterrei eram quase duas da manhã no Aeroporto do Porto desperta e de barriguinha cheia porque a TAP trata-me sempre bem nesse aspeto. Bem mais calma encontrei o meu pai e fomos para casa onde fui recebida pelo meu irrequieto cachorrinho. E no meio de tantas lambidelas adormeci.

18901495_10212896436351422_551609165_o.jpg

18926261_10212896436511426_1908585607_o.jpg

 (A última fotografia foi tirada na viagem de ida para Londres.)

 

Espero que tenham gostado, rido um pouco da minha sorte e continuação de um excelente fim de semana. 

 

Também podem seguir o meu dia a dia, estas e outras partilhas no Instagram. (:

Até já!

"Red Nose Day Actually" o filme

Olá pessoal!

 

Já estou de volta a Portugal, regressei no Domingo de madrugada depois de um voo terrível com alguma turbulência. Em breve falarei sobre as peripécias da viagem de regresso, a segurança apertada dentro e fora dos aeroportos e de amor, claro está. Uma vez que foi em busca dele que rumei a Inglaterra. Ah! E ainda falta mostrar-vos o meu passeio em Londres. Mas, como disse, tudo isto terá de ficar para depois.

 

Estava eu a navegar na Internet, à procura de novidades, quando deparei-me com um post do site New in Town sobre a sequela do filme "Love Actually". Fiquei histérica! Abri imediatamente o artigo e no fim de alguns parágrafos dei de caras com o vídeo.

 

São cerca de 17 minutos maravilhosos, que fizeram relembrar-me o passado de  personagens tão cativantes que as recordo até hoje. O destaque vai para a dança marota do Primeiro-ministro britânico (Hugh Grant), o romance apaixonante vivido por Jamie (Colin Firth) e Aurélia (Lúcia Moniz) e a ação solidária que moveu todo o elenco para a concretização deste filme. A curta chama-se "Red Nose Day Actually" e estreou na BBC no passado dia 24 de março, a data em que se comemora o Dia do Nariz Vermelho.

 

Quem viu o primeiro filme, que foi para as salas de cinema em 2003, não pode deixar de assistir à continuação e desfecho da maior parte das personagens mais incríveis de sempre.